quinta-feira, 28 de maio de 2015

Cruzeiro erra demais e cai no Mineirão: 3x0

Cruzeiro 0 x 3 River Plate - Mineirão - 2º jogo das semifinais - Libertadores 2015 

Foi pouco
Sim, a goleada poderia ter sido muito mais humilhante fosse o River um time um pouco melhor. Sim, o River é um time fraco, bem fraco mesmo. Só seguirá na Libertadores porque os argentinos souberam o que fazer para dominar o Cruzeiro. Jogaram o jogo que o Cruzeiro jogou em B.Aires. Não faltou inteligência, já que qualidade técnica eles não tem, não faltou disposição, já que a preparação física deles é falha, não faltou vontade já que o objetivo do time argentino era muito alto dadas as tradições do confronto River x Cruzeiro. Eles vieram pra vencer o jogo e trabalharam os 90 minutos pensando neste objetivo. 

Não jogou
O Cruzeiro não jogou esta é a impressão que ficou. Errou demais, abusando da paciência do torcedor. Todos os 3 gols do River se originaram em erros grotescos de passes, de marcação ou erros individuais, algo que infelizmente envergonhou a torcida mas que de pouco servirá como experiência. Pois é, a derrota e a desclassificação não deverão servir nem como lição. Exceto para a torcida que aos poucos vai amadurecendo e entendendo como é o futebol, já para o Clube, de pouco servirá, visto que estes que aí estão hoje, amanhã já não estarão e as experiências acumuladas não ficam no clube mas vão com os mesmos. Se pelo menos tivéssemos uma comissão técnica permanente...

Filosofando, faltou o empenho anímico
O Cruzeiro não sabia o que fazer. Foi surpreendido por um time tecnicamente inferior mas que mostrou um empenho incomum, principalmente em se tratando de times brasileiros. Jogaram com alma, mostraram que a vitória é obtida quando se joga acreditando nela, quando se busca o inalcançável com ações práticas, fazendo da vontade um propósito em busca do fim desejado. Não basta ter vontade de ganhar, é necessário transformar a vontade em ação direta na busca do objetivo. Foi isso que o River fez. O Cruzeiro por outro lado, mesmo tendo a mesma vontade do adversário, não quis ou não soube fazer da vontade uma ação prática e efetiva na busca do que queria atingir. O time foi fraco, foi até certo ponto covarde.

Sem destaques
Mayke não joga mais o futebol de 2013. Bruno Rodrigo idem. Henrique parece em fim de carreira. Willian nunca é efetivo, parece enceradeira. Willians cuja maior qualidade eram os passes longos agora quase nem tenta. Arrascaeta se esconde o tempo todo, ultimamente é um homem a menos no time. Damião isolado não tem mais feito a diferença, Marquinhos que impressionantemente era o destaque do time no início da temporada pegou o vírus e é apenas mais um em campo. Alisson tem se salvado, só não pode se deixar contaminar. Joel tem de ser reavaliado para que se conclua se pode mesmo ser um reserva. Gabriel Xavier tem futebol mas também tem muito que melhorar, tem também um problema grave, não tem força física, é muito franzino, podia compensar isto com jogadas mais objetivas. Manoel não é o substituto ideal de Léo, aliás Léo joga bem mais que Manoel. Mena vem até crescendo na lateral.

FICHA TÉCNICA
CRUZEIRO 0 X 3 RIVER PLATE
Local: Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Data: 27 de maio de 2015, quarta-feira
Horário: 22h (de Brasília)
Árbitro: Wilmar Roldan (COL)
Assistentes: Wilson Berrio e Alexander Guzman (ambos da Colômbia)
Cartões amarelos : (Cruzeiro) Mena, Willian, Joel (River Plate) Barovero, Marcado
Cartão vermelho : (Cruzeiro) Gabriel Xavier GOLS:
RIVER PLATE: Sánchez, aos 19 e Maidana, aos 44 minutos do primeiro tempo; Teo Gutiérrez, aos seis minutos do segundo tempo
CRUZEIRO: Fábio; Mayke, Manoel, Bruno Rodrigo e Mena; Willians (Joel), Henrique, Arrascaeta (Gabriel Xavier) e Willian (Alisson); Marquinhos e Leandro Damião
Técnico: Marcelo Oliveira
RIVER PLATE: Barovero; Mercado (Pezzella), Maidana, Funes Mori e Vangioni; Sánchez, Ponzio (Mayada), Kranevitter e Rojas; Mora e Teo Gutiérrez (Martínez)
Técnico: Marcelo Gallardo

segunda-feira, 25 de maio de 2015

Cruzeiro deixa escapar vitória no Mineirão: 1x1

Cruzeiro 1 x 1 Ponte Preta - Mineirão - 3ª rodada - Brasileirão 2015

Jogo duro
O Cruzeiro não foi bem, mas mesmo assim era superior à Ponte, sobretudo no 2º tempo quando teve o domínio da partida. Desentrosado o time errou muitos passes e não conseguia criar jogadas ofensivas de qualidade. Quando conseguíamos finalizar bem esbarrávamos na eficiência do goleiro Marcelo Lomba o destaque da noite. No 1º tempo só tínhamos jogadas pelo lado esquerdo do ataque. Na etapa final Marcelo corrigiu este problema com a entrada de Alisson e depois de Neilton e melhoramos muito na parte ofensiva. O gol enfim saiu numa cobrança de falta ensaiada. Charles acertou um petardo que ainda foi rebatido pelo goleiro, mas dada a força foi direto para o fundo da rede.

Sem conjunto
O Cruzeiro jogou melhor que o adversário, mas mostrou que não tinha conjunto e isto nos prejudicou demais sobretudo do meio pra frente. A marcação da Ponte, único ponto forte da equipe paulista, era super eficiente e não conseguíamos nos desvencilhar dela. O jogo parecia amarrado e tudo indicava que teríamos um empate em 0x0. Com a marcação do gol do Cruzeiro a Ponte se viu obrigada a produzir mais ofensivamente e foi pra frente. Numa bobeada da defensiva Celeste, que como disse Alisson após o jogo aconteceu por descuido mesmo, já que havia sido prevista na preleção pelo técnico Marcelo Oliveira, os adversários marcaram e empataram a peleja.

Tabela
O Cruzeiro não é mais o lanterna do campeonato, porém isso não é ainda motivo para comemoração. Temos apenas 1 ponto em 9 possíveis, o que é muito pouco. A vitória nos daria alguma tranquilidade, mas a deixamos escapar nos minutos finais, mais uma vez. Felizmente o nível dos outros times não é tão bom e estamos à 6 pontos apenas dos 3 líderes. Isso pode ser um tranquilizador, afinal com duas vitórias seguidas é certo que poderemos entrar no G4 ou pelo menos ficar bem perto. Avante Cruzeiro.


FICHA TÉCNICA
CRUZEIRO 1 X 1 PONTE PRETA
Local: Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Data: 24 de maio de 2015, domingo
Horário: 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Anderson Daronco (RS)
Assistentes: Marcelo Bertanha Barison (RS) e Rafael da Silva Alves (RS)
Cartões amarelos : Paulo André, Fabrício (Cruzeiro). Pablo, Juninho (Ponte Preta)GolsCRUZEIRO: Charles, aos 36 minutos do segundo tempo PONTE PRETA: Biro Biro, aos 37 minutos do segundo tempo
CRUZEIRO: Rafael; Ceará, Léo, Paulo André e Fabrício; Eurico, Bruno Edgar (Neilton), Charles e Gabriel Xavier (Alisson); Joel e Henrique Dourado (Riascos)
Técnico: Marcelo Oliveira
PONTE PRETA: Marcelo Lomba; Rodinei, Tiago Alves, Pablo e Juninho; Josimar, Fernando Bob e Renato Cajá (Roni); Felipe Azevedo (Cesinha), Biro Biro e Diego Oliveira (Borges)
Técnico: Guto Ferreira

sexta-feira, 22 de maio de 2015

Cruzeiro vence o River em jogo movimentado: 1x0

River Plate 0 x 1 Cruzeiro - Monumental de Nuñes - Quartas de final - 1º jogo - Libertadores 2015 
Marquinhos pegou rebote do chute de Gabriel Xavier e marcou o gol da noite.
Bom jogo
Não foi um primor de partida do Cruzeiro, mas foi sem dúvidas um bom jogo. Vimos mais superação, mas vontade e empenho que propriamente qualidade, mas foi o suficiente para trazermos uma vitória importantíssima para o prosseguimento do time Celeste na competição. Realmente o jogo foi muito disputado e com muita movimentação durante os 90 minutos. O Cruzeiro se impôs logo no início do jogo, mostrou que tinha vindo a Buenos Aires buscar um bom resultado e acabou fazendo por merecer a vitória incontestável.

Desempenhos
O River surpreendeu negativamente, mostrou-se um time muito fraco que tem como qualidade duas coisas, analisando rapidamente apenas por esta partida. Uma é a aplicação tática muito boa. Ocupa bem os espaços do campo. Outra que em parte é resultado da 1ª, tem uma ótima e eficiente marcação. De resto seus jogadores não mostraram qualidades técnicas individuais e os atacantes finalizam muito mal. De certa forma o Cruzeiro foi beneficiado por isso, temos mais qualidades técnicas tanto no conjunto como no aspecto individual. Ontem jogamos bem, mas alguns atletas ficaram abaixo da crítica. Arrascaeta não entrou em campo. Mayke não foi bem nem ofensiva nem defensivamente, é um rascunho do que foi em 2013. Henrique quase comprometeu com sua lentidão e toquinhos para trás. Willians lutou muito mas ultimamente não tem conseguido mostrar suas qualidades de passe e desarme. Marcelo foi bem na armação e nas substituições. Quando todos poderiam pensar que a entrada de Charles colocaria o time na retranca o que se viu foi o contrário. Houve uma maior proteção à zaga e por outro lado Henrique pôde jogar mais adiantado apoiando mais o ataque. Marquinhos foi premiado com a autoria do gol após uma boa partida que jogou.

Facilitou
A vitória com certeza facilita a vida do Cruzeiro na busca da classificação paras as semifinais. Agora precisamos apenas de um empate no Mineirão para nos garantirmos. Se o Cruzeiro jogar como jogou na Argentina, ou melhor ainda, como jogou a 2ª partida, onde eliminou o SPFW podemos ficar tranquilos que a classificação virá. O River jogou na Argentina como um time comum, não deve repetir a fórmula em BH, deverá vir mordido e será talvez, o mais argentino dos times, catimbando e tentando causar alguma confusão em campo que possa prejudicar o Cruzeiro, temos de esperar que a Diretoria técnica esteja atenta a isso e abra os olhos dos atletas.

Destaque
Com esta vitória importante o Cruzeiro se isola como o TIME BRASILEIRO que mais venceu na Libertadores.

FICHA TÉCNICA
RIVER PLATE-ARG 0 x 1 CRUZEIRO
Local: Estádio Monumental de Nuñez, em Buenos Aires (ARG)
Data: 21 de maio de 2015, quinta-feira
Horário: 22 horas (de Brasília)
Árbitro: Enrique Osses (CHI)
Assistentes: Carlos Astroza e Marelo Barraza (ambos do Chile)
Cartões amarelos: Ponzio e Kranevitter (River Plate-ARG); Willians, Mena e Gabriel Xavier (Cruzeiro)
GOL
CRUZEIRO: Marquinhos, aos 36 minutos do segundo tempo
RIVER PLATE: Barovero; Mammana, Maidana, Funes Mori e Vangioni; Ponzio (Pisculichi), Kranevitter e Carlos Sánchez; Pity Martínez (Mayada); Rodrigo Mora (Cavenaghi) e Teo Gutiérrez
Técnico: Marcelo Gallardo
CRUZEIRO: Fábio; Mayke, Manoel, Bruno Rodrigo e Mena; Willians e Henrique; Marquinhos, De Arrascaeta (Gabriel Xavier) e Willian (Charles); Leandro Damião (Henrique Dourado)
Técnico: Marcelo Oliveira

segunda-feira, 18 de maio de 2015

Cruzeiro perde e livra-se de goleada na Vila: 1x0

Santos 1 x 0 - Vila Belmiro - 3ª rodada - Brasileirão 2015

Poderia ter sido
Uma goleada. Na linha do gol Eurico e depois Fabrício tiraram duas bolas que já tinham passado pelo Fábio, portanto dois gols certos, fora a que bateu no travessão. O Cruzeiro não jogou tão mal, o problema se encontra do meio para a frente. Não tínhamos jogadas ofensivas e com chutes inofensivos de Willian e Henrique jamais faríamos o gol. Marquinhos até passou mais perto, mas a verdade é que não conseguíamos penetrar na área do Santos. A dificuldade era enorme pela boa marcação do Peixe.

Força
Tomara que nossos guerreiros estivessem guardando forças para o combate da 5ª feira próxima, assim ainda poderíamos ficar satisfeitos pois não é legal em dois jogos não marcar nenhum pontinho no Brasileirão. A pressão aumenta muito para o próximo jogo. Marcelo Oliveira tem um monte de nomes, mas nenhum tem funcionado bem. Falta-nos um meio campo ofensivo, coisa que perdemos de 2014 para cá. Defensivamente até que nos damos bem, tanto que perdemos os últimos 3 jogos por apenas 1 gol e a maioria foi feita nos últimos momentos da partida.

Reação
A reação pode vir na próxima rodada. Após o jogo contra o River, lá, Marcelo poderá pensar em manter o time titular para a 3ª rodada do Brasileirão. Não dá pra ficar tanto tempo sem pontuar e o nosso próximo encontro é com a Ponte Preta na nossa casa, enfim é a chance de conseguir os 3 pontos. Felizmente só há um time 100% de maneiras que a diferença contra nós é pequena ainda o que nos dá uma certa folga. Se conseguirmos a vitória contra a Ponte poderemos ficar mais tranquilos para o 2º jogo contra o River pela Libertadores.  


FICHA TÉCNICA:
SANTOS 1 X 0 CRUZEIRO
Local: Vila Belmiro, em Santos (SP)
Data: 17 de maio de 2015, domingo
Horário: 16 horas (horário de Brasília)
Árbitro: Pericles Bassols Pegado Cortez (RJ-FIFA)
Assistentes: Rodrigo F. Henrique Correa (RJ-FIFA) e Rodrigo Pereira Joia (RJ)
Público: 7.246 pagantes
Renda: R$ 250.060,00
Cartões amarelos: Chiquinho (Santos); Willians, Fabrício e Willian (Cruzeiro)
GOL:
SANTOS: Geuvânio, aos 44 minutos do primeiro tempo
SANTOS: Vladimir; Victor Ferraz, Werley, David Braz e Chiquinho; Lucas Otávio (Thiago Maia), Renato e Lucas Lima; Geuvânio (Gabigol), Ricardo Oliveira e Robinho (Elano)
Técnico: Marcelo Fernandes
CRUZEIRO: Fábio; Willian Farias (Eurico), Manoel, Bruno Rodrigo e Fabrício; Willians, Henrique, De Arrascaeta (Gabriel Xavier), Marquinhos e Willian; Henrique Dourado (Joel)
Técnico: Marcelo Oliveira

quinta-feira, 14 de maio de 2015

Cruzeiro vence, elimina rival e lava alma da torcida: 1x0

Cruzeiro 1 x 0 S.Paulo - Mineirão - Oitavas de final 2º jogo - Libertadores 2015  
Fábio mais uma vez garantiu nosso gol. Defendeu 2 penalidades.

Coube a Gabriel Xavier o gol da classificação.
Jogo bom
O Cruzeiro entrou em campo mordido. Jogou bem e mereceu vencer o jogo e assim também foi merecida sua passagem às quartas de final da Libertadores. O time paulista se livrou de tomar uma saraivada de gols, passamos perto disto com vários chutes e jogadas empolgantes. Todo o time se superou, todos jogaram melhor do que tem jogado nesta temporada. O time foi coeso e não ofereceu facilidades em nenhum momento para o time paulista, fomos soberanos em campo e só não fizemos um placar favorável para evitar a disputa dos penais por pura sorte da bambizada, ou azar do goleiro aposentado. Marquinhos voltou a mostrar aquele futebol do início da temporada, justiça seja feita, jogou demais ontem.

Lavando a alma
Não foi só uma vitória que nos classificou para a final... não bastava afinal vencer o jogo, tanto pelo lado do regulamento quanto pelo lado do sentimento do Torcedor Azul. Era necessário mais, teríamos de criar uma situação para que o torcedor desse ainda mais valor a esta classificação. Nada melhor que levar o jogo para a disputa por pênaltis e só então decidir a eliminação do SPFW, um time que estava entalado na garganta da Nação Azul, um time que tem um goleiro-que-manda-no-time, um goleiro metido a ser o bonzão, um sujeito arrogante ao qual tivemos o prazer de decretar a aposentadoria, como ele mesmo declarou ao fim do jogo que não jogará mais a Libertadores, esta foi a última. Fábio sim foi o vencedor da noite.

Quem é o freguês?
Mais uma vez eliminamos o time mais "metido" do Brasil. Mais uma vez levamos a melhor sobre eles. Não bastava o último brasileirão que os deixamos pra trás com 10 pontos de frente, não bastava a Copa do Brasil que ganhamos em cima deles em 2000, não bastava vencer em cima deles a Copa Ouro de 1995, também não bastou termos os eliminado na Libertadores de 2009, com placar agregado de 4x1, aliás onde começou a queda do time que ganhava tudo no Brasil. De quebra o Cruzeiro com esta vitória reassumiu seu posto de time brasileiro que MAIS VENCEU na Libertadores, agora são 85 vitórias em 146 jogos contra a mesma quantidade dos bambis só que eles precisaram de 167 jogos para esta quantidade de vitórias, o que valoriza ainda mais os números Celestes.#AposentaCeni

Quartas
Que venham agora os argentinos, seja River ou seja Boca, o Cruzeiro precisa incorporar o espírito do jogo de ontem que é assim que se joga pra vencer, para ser campeão. Esperamos mesmo que este time possa se empenhar nos próximos jogos como se empenhou ontem e o resultado não poderá ser outro que não o TRI. Temos um time em formação, mas sabemos que este time pode render bem mais do que vinha rendendo. Não jogamos mal em S.Paulo (nem contra os gambás no Mato Grosso), mas faltou atenção e um pouco mais de empenho ofensivo. Ontem tudo foi diferente, e não tem nada de complicação, é só repetir a receita do jogo de ontem e tudo será melhor para todos nós. Avante Cruzeiro!






FICHA TÉCNICA
CRUZEIRO 1 (4) X 0 (3) SÃO PAULO
Local: Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Data: 13 de maio de 2015, quarta-feira
Horário: 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Andrés Cunha (URU)
Assistentes: Miguel Nievas e Gabriel Popovirs (ambos do Uruguai)
Cartão amarelo : (São Paulo) Reinaldo
GOL:
CRUZEIRO : Leandro Damião, aos nove minutos do segundo tempo
CRUZEIRO: Fábio; Mayke (Willian Farias), Bruno Rodrigo, Manoel e Mena; Willians, Henrique, De Arrascaeta e Marquinhos; Willian (Gabriel Xavier) e Leandro Damião
Técnico: Marcelo Oliveira
SÃO PAULO: Rogério Ceni; Bruno, Rafael Tolói, Lucão e Reinaldo; Denilson, Souza, Wesley (Centurión), Ganso e Michel Bastos (Hudson); Alexandre Pato (Luís Fabiano)
Técnico: Milton Cruz
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Vão pra lá, venham pra cá, naveguem pois:

Notícias do Maior de Minas - Site Oficial

Globo Esporte

Você no mapa:


Visitor Map